Retratos de gêmeos

por Sergio Antonio Ulber em 15 de fevereiro de 2012

Martin Schoeller é um fotógrafo alemão que vive em Nova York, muito conhecido pelos seus retratos e pela série “Close Up”, em que fotografou diversas celebridades, inclusive o Presidente norte-americano Barack Obama.

Recentemente o fotógrafo viajou para a pequena cidade de Twinsburg, Ohio, EUA, onde acontece o “Twins Days Festival”, um festival anual que reúne gêmeos para uma maratona de piqueniques, show de talentos e concurso de sósia. Lá realizou este ensaio para ilustrar um artigo da National Geographic, escrito por Petter Miller. Os retratos dos gêmeos, colocados lado-a-lado, convidam o espectador a explorar as similaridades e as diferenças físicas entre os pares. As imagens são complementadas com breves textos sobre os retratados, que permitem mais interpretações sobre cada modelo.

www.martinschoeller.com / nationalgeographic.com/schoeller-photography

Johanna Gill, de 6 anos, coloca a mão sobre o ombro da irmã, Eva. As duas possuem um traço de autismo, doença ligada à herança genética.

As irmãs de 15 anos pretendem ir para a mesma universidade e tornarem-se cantoras de ópera. Elas também gostam de desenhar, mas possuem gostos diferentes para esta arte. Marta (esquerda) desenha rostos com riqueza de detalhes, enquanto Emma prefere desenhar imagens mais amplas, como o céu, a chuva e objetos em movimento. 

Quando crianças, Ramon (esquerda) e Eurides eram tão parecidos que sua mãe teve que colocar pulseiras com os nomes para não correr o risco de confundi-los ou de alimentar a mesma criança duas vezes. Hoje, com 34 anos,  os irmãos são vizinhos e vivem na Flórida, EUA, em casas idênticas.

Quando Loretta (esquerda) foi diagnosticada com câncer de mama há três anos, Lorraine estava no consultório do médico com ela. Loretta achou que Lorraine deveria fazer os exames também. O médico descobriu que Lorraine tinha o mesmo câncer. Depois de receber tratamento, as irmãs estão com curadas e com boa saúde.

As gêmeas de 9 anos se dão bem e tem o mesmo gosto, inclusive para as compras. As vezes a mãe leva as meninas (Emily, na esquerda, e Kate) para o shopping em ocasiões separadas e, mesmo sem uma gêmea saber o que a outra comprou, elas acabam escolhendo as mesmas coisas.

No Jardim de Infância, Spencer (direita) era tímido demais para posar no “dia da foto”, então ele dava sua camiseta para o irmão que posava por ele, mas sua mãe percebeu a picada de mosquito que Skyler tinha na testa presente nas duas imagens. No colégio, os irmão viraram lutadores, então que os confundia era o juiz: “você não pode lutar novamente, você acabou de sair do ringue”. Agora, com 19 anos e cursando a faculdade, um paga a mensalidade integral enquanto outro faz o curso de gratuitamente, graças a uma bolsa para gêmeos disponibilizada pela instituição.

Na escola não importava se Jeff Nagel (esquerda) era ruim em exercícios de soletração, porque Steve era bom. Os gêmeos se vestiam de forma idêntica, salvo pelo relógio de pulso, que era secretamente trocado antes de alguma prova ou exercício oral. Agora, com 44 anos de idade, eles exercem profissões diferentes, mas mesmo assim confundem as pessoas algumas vezes. Jeff, que é Chef, já pediu para Steve o ajudar em um evento, os convidados ficaram tão impressionados com a velocidade que “Jeff” entrava e saía da cozinha que chegaram a pedir para ele ir com mais calma.

Jessica (esquerda) e Jeckie Whited, 20, frequentam a Universidade de Arkon, compartilham os mesmos amigos, o mesmo trabalho e até lecionam juntas na escola religiosa. Quando eram crianças, o que as diferenciava era a cor do esmalte que usavam, Jessica gostava de roxo, enquanto Jeckie preferia rosa. Elas são tão parecidas que, quando trabalhavam no McDonald’s, o chefe as confundia, mas suas personalidades são bem diferentes. 

Carly (esquerda) e Lily Ayer, 5, são tão apegadas que sua mãe, Lisa, as vezes se pergunta se por acaso elas são a mesma pessoa. As meninas fazem parte da mesma turma na escola e na natação. Quando o professor de natação tenta aplicar exercícios mais avançados para uma das irmãs, a outra protesta, não quer ficar pra trás. 

Quando Chirstopher Griffin (direita) tatuou o número 2 em seu pulso como forma de representar o fato de ter um irmão gêmeo, ele pensou que Cole faria o mesmo. E Cole Fez. Ele tatuou o número um, pois nasceu primeiro, explicou rindo. Aos 20 anos de idade, os irmãos dizem que hoje em dia se dão melhor e aprenderam a compartilhar melhor suas coisas do que quando eram crianças. Eles frequentam diferentes universidades em Ohio, mas lembram-se um do outro com frequencia, pois, além da tatuagem dos números, eles também tatuaram o nome um do outro na parte interior do lábio. 

 

Compartilhe:

autor do post

Sergio Antonio Ulber

Integra o conselho editorial da Foto Grafia, é responsável pelo blog e pela redação da revista e sócio da LAPIS Comunicação e Cultura. Formado em Design Gráfico pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), atualmente é aluno do curso de Pós-Graduação em Fotografia na mesma instituição.

2 respostas para “Retratos de gêmeos”

  1. Ligia Lima disse:

    Olá querido,
    Fantástico esse trabalho com gêmeos… Eu ministro um curso de VISAGISMO E IMAGEM que aborda bastante a questão da identidade…. Gostaria de saber se vcs me permitissem usar as imagens no meu curso… Para isso gostaria de tê-las… claro que darei todos os créditos….
    Obrigada,
    Ligia Lima

  2. Redação disse:

    Olá Ligia, agradecemos o contato.

    A autorização de uso desta imagem não cabe a nós da LAPIS Comunicação e Cultura, você precisa falar diretamente com algum assessor do Martin Schoeller, autor da obra. Infelizmente não temos o contato pessoal para lhe informar.
    No site oficial do artista você consegue mais informações: http://www.martinschoeller.com/

Deixe uma resposta

NEWSLETTER

Cadastrando seu e-mail você fica por dentro das novidades que envolvem a revista Foto Grafia e os principais destaques da cena fotográfica. A periodicidade de envio é moderada.